A preocupação com a qualidade de produtos e processos industriais está presente na vida do homem desde a década de 20, quando houve a evolução da indústria bélica e, consequentemente, maior preocupação a respeito da conferência de produtos finais a fim de evitar a comercialização de produtos defeituosos. Com o avanço da tecnologia, o controle de qualidade tornou-se essencial para assegurar a qualidade dos produtos, serviços, equipamentos e instalações dos mesmos. A partir disso, houve a necessidade de padronização dos processos operacionais, o que resultou na criação da International Organization for Standardization (ISO), a qual é responsável por criar normas para produtos e serviços. A norma ISO 9001:2015, mais especificamente, é utilizada como referência para a implantação de sistemas de gestão da qualidade.
 
De forma geral, o objetivo da Gestão de Qualidade é assegurar que o cliente tenha suas expectativas e necessidades atendidas por meio da padronização e manutenção dos processos, além de garantir que o fornecedor atenda a todos os requisitos técnicos e organizacionais exigidos nas normas e nos contratos de fornecimento. Além disso, várias atividades são realizadas em um setor de qualidade, como o gerenciamento e operação do sistema, criação de Procedimentos Operacionais Padrão (POP’s), prática da política da qualidade, organização de documentos, realização de testes para análise da qualidade dos produtos e realização de auditorias internas. É importante destacar que a qualidade de processos e produtos não depende apenas do setor de qualidade, uma vez que a gestão de qualidade deve ser aplicada desde a obtenção da matéria prima até a entrega do produto.
 
A base da gestão da qualidade conta com ideais de alguns pensadores, como William Edwards Deming que criou o ciclo “Plan-Do-Check-Act” (PDCA). Através desse, permite-se que os processos sejam executados adequadamente e que a melhoria contínua seja um processo recorrente. Deming também é responsável pelo desenvolvimento dos “14 Princípios”, em que estão descritos os fundamentos necessários, a respeito da qualidade, para que o sucesso e a excelência organizacional sejam atingidos, além de reforçar a importância da qualidade preventiva, o que resulta em redução de custos, retrabalhos, falhas e um maior aproveitamento do tempo e dos materiais. Outro pensador importante, Philip B. Crosby, criou o conceito de Defeito Zero, em que é enfatizada a importância da conformidade dos requisitos de qualidade.
 
Tendo em vista toda a evolução dos conceitos e aplicações do processo de qualidade, a Diagno Soluções em Diagnósticos LTDA tem total preocupação e compromisso com a qualidade de seus processos e produtos e, para isso, conta com um setor de qualidade com profissionais bem qualificados e atualizados quanto às atividades relacionadas à qualidade. A Diagno é regida pelos parâmetros propostos na RDC 16 de 2013 (Anvisa) e aplica diariamente os princípios descritos anteriormente, a fim de criar processos para otimização dos produtos comercializados e desenvolver procedimentos necessários para a melhoria da empresa, além do investimento em qualificação, formação e motivação dos funcionários. Os reagentes, controles e equipamentos fornecidos pela Diagno são produzidos com excelência, visando sempre a qualidade e a completa satisfação do cliente. Esse é nosso objetivo primordial.

 

REFERÊNCIAS:
 
PALADINI, E. P.et al. Gestão da Qualidade Teoria e Casos. Elsevier, 2ª edição, 2012.
VIEIRA, K. F. et al. A utilidade dos indicadores da qualidade no gerenciamento de laboratórios clínicos. J BrasPatolMed Lab, v. 47, n. 3, p. 201-210, junho 2011.

 

Giselle Amaral
Assistente da Qualidade – Diagno

× Como posso te ajudar?